Blog do UOL Tecnologia

Arquivo : julho 2011

Microsoft cria o ‘Homem Gmail’ para mostrar invasão de privacidade do rival
Comentários 12

Ana Ikeda

Bisbilhoteiro. Intrometido. Onipresente. Não, não estou falando do seu colega de trabalho, caro leitor. Essa é a descrição do Gmail Man (ou o Homem Gmail, se preferir).

Personagem de uma peça publicitária da Microsoft, apelidada de “infame” pelo site “Zdnet”, o Gmail Man é tudo aquilo que você sempre quis dizer ao mundo sobre o serviço de e-mail do Google, mas tinha vergonha (falta de tempo, de criatividade ou preguiça) de revelar.

O vídeo foi apresentado na conferência anual de vendas da Microsoft e, assim sem querer querendo (#not), vazou na internet.

Na primeira cena, Gmail Man caminha tranquilamente enquanto lê algumas palavras de correspondências. Uma garotinha, atônita com a atitude, questiona o “carteiro”. “Como você pode fazer isso?”, diz a criança, espantada. “Bem, às vezes, quando uma pessoa realmente ama muito o seu Gmail, os dois se juntam e… um anúncio nasce!”, ele responde. A reação da menina é hilária.

Na outra cena, o Gmail Man oferece a uma mulher um anúncio (uma pomada para “coceira”), baseado em palavras-chave de um e-mail… que não tem absolutamente nada a ver com a mensagem original. Sensação de déjà-vu, amigo?

Confira (em inglês):

 

[uolmais type="video" ]http://mais.uol.com.br/view/11881737[/uolmais]

 

Lá do Zdnet.

Imagem: Reprodução.


Lingerie day: no dia de postar foto de lingerie no Twitter, usuários falam muito, mas mostram pouco
Comentários Comente

Guilherme Tagiaroli

Quem acessou o Twitter nesta quinta e reparou nos “Assuntos do Momento” (também conhecidos como trending topics) no Brasil, com certeza notou a presença da hashtag #lingerieday.

Digna de spammer que quer oferecer comprimidos contra impotência, a tal hashtag (ou marcação, na tradução do Twitter) diz respeito a um “evento internético”, que consiste na publicação de fotos de mulheres vestindo lingerie. No entanto, não é bem isso que o usuário que foi vítima de spam curioso vai encontrar na busca do Twitter.

Há casos de moças que fizeram a alegria da garotada (em algumas situações a tristeza, diga-se de passagem) e de pessoas que simplesmente deram um Google e postaram a primeira imagem de mulher de lingerie que acharam. Mas a maioria das postagens é de usuários comentando mensagens dos outros ou de anúncios de troca de avatar – com montagens bem toscas e legais. Se quiser comprovar, basta dar uma olhada na busca do Twitter pela hashtag #lingerieday.

Abaixo, nós selecionamos alguns tuítes, fotos e avatares bizarros postados nessa comemoração das internets do Brasil (SIC).

Apesar da brincadeira, o concurso lingerie day, idealizado pelos perfis @morroida e @gravz, escolherá uma garota para fazer um ensaio fotográfico para uma revista masculina. Clique aqui para ver a página do evento e as concorrentes ao prêmio.

___

Imagem: Getty Images


Humorista leva cabra para passear e pede pizza em loja (original) da Apple
Comentários Comente

Juliana Carpanez

As lojas da Apple têm servido de cenário para ações bastante inusitadas – como dancinhas estranhas e visitas de cachorro –, devidamente divulgadas na internet. Depois de assistir a essas imagens, o humorista Mark Malkoff quis testar até onde vai a permissividade desses estabelecimentos e de seus funcionários. A resposta: vai longe, muito longe, como mostra o vídeo abaixo (o conteúdo é em inglês, mas o constrangimento é universal).

[uolmais type="video" ]http://mais.uol.com.br/view/11874377[/uolmais]

Com a cara de pau que só os comediantes têm, ele visitou diferentes lojas de Nova York, nos EUA, e fez o impensável – algumas vezes. Pediu uma pizza, que comeu ali mesmo. Organizou um jantar romântico em outra Apple Store, com música ao vivo, e dançou no meio do público. Vestido de Darth Vader, foi a outro estabelecimento para consertar seu iPhone. Por fim, levou uma cabra ao santuário dos applemaníacos, já que cachorros são para os fracos. “A cabra é Mac ou PC?”, perguntou a um dos funcionários.

Aparentemente pode-se tudo na Apple Store. Mas desde que ela seja original: se for uma cópia chinesa, os funcionários podem facilmente perder a paciência. Olha aí embaixo quanta classe na versão pirata do estabelecimento:

Lá do Gawker
Foto: Reuters


Capa com cara de bíblia antiga esconde iPhone e ainda serve de carteira
Comentários Comente

Guilherme Tagiaroli

Após comprar um smartphone caro, a reação mais comum do usuário é sentir certo desconforto em expor o seu aparelho em público. No entanto, não necessariamente pensando nisso, a empresa americana Twelve South’s desenvolveu uma capa para iPhone 4 que parece uma bíblia antiga

Chamada de BookBook, a capa é toda feita de couro e com ela o usuário consegue camuflar seu smartphone e ainda guardar alguns documentos no case, que também serve como uma carteira.

Lógico que você não vai conseguir colocar o que você costuma colocar em uma carteira convencional, porém ela consegue quebrar um galho para situações simples. Nela é possível, por exemplo, guardar a carteira de motorista, dois cartões e dinheiro em um compartimento escondido.

Por ser um pouco maior que o iPhone, a capa cabe no bolso e permite facilmente que o usuário atenda ao telefone sem tirá-lo do case.

No site da fabricante, a capa BookBook custa US$ 60 e de quebra ajuda quem morre de medo de ter o iPhone roubado – a propósito, você já viu alguém tentando roubar uma bíblia?


__
Lá do TwelveSouth via Engadget
Imagem: Divulgação


Um em cada cinco americanos já deixou o celular cair no vaso sanitário, diz pesquisa
Comentários Comente

Rodrigo Vitulli

Existem, pelo menos, três dezenas de comunidades no Orkut com o tema “meu celular já caiu na privada”; a maioria delas conta com mais de 100 membros. Aparentemente existe uma magnetismo instransponível entre o vaso sanitários e telefones móveis.  Uma pesquisa divulgada pela empresa Plaxo confirmou essa teoria e  mostrou que 19%  dos entrevistados já deixaram o celular cair na malquista privada. Mas será tão difícil assim manter o aparelho a uma distância segura?

A pesquisa, realizada com mais de 1.000 norte-americanos, tem o foco em como as pessoas estão fazendo o backup dos dados de seus celulares. Entre todos os desastrados, 55% declararam que a maior perda não foi o valor monetário do celular, mas os números, fotos, emails e endereços dos contatos armazenados. No total, um em cada dez entrevistados disse que a oportunidade de guardar os dados em outro local de fácil acesso “não tem preço”.

Logo após a hilária e nojenta situação de deixar o celular cair como um…. bem, cair na privada, o estudo mostrou que 15% dos que responderam à pesquisa tiveram os aparelhos quebrados pelos filhos. O restante alega ter esquecido os celulares em taxis, restaurantes e shoppings.

É, o backup é importante, mas que tal deixar o aparelho bem guardado enquanto faz as necessidades?

Se mesmo assim o impensável acontecer, cuidado para não ficar entalado na privada como este chinês:

Veja a notícia completa aqui: Chinês fica preso no vaso sanitário ao tentar recuperar celular

Imagem: GettyImages e reprodução


Aplicativo oficial do Facebook para iPad está escondido na versão para iPhone
Comentários Comente

Rodrigo Vitulli

Uma das aplicações mais pedidas para o iPad talvez estivesse o tempo todo diante dos nosso solhos, mas camuflada. Sim, senhores, o aplicativo oficial do Facebook para iPad, segundo o site de notícias norte-americano Tech Crunch, já existe e ele é, de acordo com os relatos, muito bem feito. O fato é que o código fonte do aplicativo para iPad está escondido no aplicativo oficial para iPhone. Com alguns ajustes no tablet (o que não é recomendável), é possível obter a versão oficial do aplicativo do Facebook o iPad.

Quem descobriu o segredinho de Mark Zuckerberg foi o hacker @AeroEchelon. Ele inclusive postou no Twitter um minitutorial sobre como revelar o aplicativo escondido. Aparentemente a brecha foi liberada a partir da atualização do aplicativo (3.4.4) divulgada no último domingo (24).

Os relatos em torno do suposto aplicativo oficial são bem animadores. Ele seria mais estável que a malfadada versão para iPhone e sua visualização, otimizadas para a tela de 10 polegadas. Um menu com as principais seções da rede localizado no lado esquerdo da tela seria a principal mudança. Além disso, alguns ajustes de layout mínimo podem ser vistos nas imagens abaixo:

ATUALIZAÇÃO: Testamos e comprovamos! O aplicativo para iPad realmente está camuflado na última atualização (3.3.4) divulgada pelo Facebook. Mark, fala para a gente, foi de propósito, né?

Lá do TechCrunch


Site sincroniza Instagram com álbum de fotos do Facebook em segundos
Comentários Comente

Rodrigo Vitulli

Pronto, tirei uma foto genial (modesto, o menino) com o Instagram e compartilhei no meu mundinho Facebook. “Que lindo”, todos comentaram. Realmente, a foto era irretocável. Porém, poucos minutos depois ela já havia se perdido entre as centenas de comentários e post do meu Facebook.

Poxa vida!, senhores administradores do Instagram e Facebook. Eu quero que as fotos sejam automaticamente publicadas no meu álbum, para a posteridade, para que meus filhos, netos e bisnetos possam ver a habilidade ótica de seu antepassado. O jeito é refazer o upload, dessa vez acessando a imagem do diretório do iPhone (o Instagram é exclusivo para o telefone da maça) e usando o aplicativo do Facebook, Um trabalhão.

Felizmente tem gente pesando na praticidade. O Instafb, apesar não ser a solução ideal, poupa o trabalhão de subir uma foto de cada vez. Basta entrar no site, fazer o login nas duas redes (Facebook e Instagram) e sincronizar. Em questão de segundos, todas as fotos estilizadas que um dia eu postei no Instagram estavam em um álbum personalizado dentro do meu perfil. E eu ainda pude escolher o nome do álbum…

Sim, senhores, eu sei que não é a primeira ferramenta que faz o serviço, mas é tão simples, rápida e intuitiva que me fez esquecer as demais. Demais.

Lá do The Next Web
Imagem: reprodução


Com foto de trânsito, Justin Bieber bate recorde na rede social Instagram
Comentários Comente

Juliana Carpanez

Você provavelmente segue alguém que reclama do trânsito nas redes sociais. Se não for você o próprio reclamão, é possível que ache esse comportamento beeeeem chato. Mas isso é para os mortais! O cantor Justin Bieber postou na noite de quinta (21) sua primeira foto no Instagram reclamando justamente do trânsito de Los Angeles – com uma foto “X” para ilustrar seu drama. O conteúdo foi divulgado em seu perfil no Twitter, com mais de 11 milhões de seguidores, e o site de compartilhamento de fotos veio abaixo. Ou quase.

O “TechCrunch” entrou em contato com os responsáveis pela rede social (veja aqui como funciona o Instagram), que confirmaram: os servidores registraram um acesso muito acima do normal com a chegada virtual do astro pop. E sua reclamação sobre o trânsito. E sua foto “X”.

Segundo Kevin Systrom, cofundador do Instagram, o perfil ganhou cerca de 50 seguidores por minuto e um comentário a cada dez segundos – números sem precedentes no site que tem cerca de 7 milhões de usuários.  Systrom afirmou que a postagem de Bieber foi espontânea: o astro não estaria participando de qualquer campanha para divulgar o site.

A gente, aqui do Gigablog, realmente espera que Bieber não estivesse dirigindo quando fez o clique do terrível (!) trânsito (!) de Los Angeles. Ou quando postou a foto. Isso porque recentemente o jovem – já com idade para dirigir nos EUA — colocou o capuzinho de bom moço e passou a fazer campanha contra o uso do telefone celular ao volante. Força na campanha, Bieber.

Lá do TechCrunch
Foto: Reprodução (Justin que tirou)


Na China, blog encontra imitação até da Apple Store. Sério!
Comentários Comente

Ana Ikeda

Por essa, a gente não esperava, caro leitor. O site 9to5Mac publicou nesta quarta (20), fotos de uma suposta Apple Store #fake na China. Sim, imitação, como o DPad, tablet chinês (veja o álbum no final do post). Pelo menos, ou melhor, ao que tudo indica, os itens vendidos na loja são produtos da Apple.

A fachada da loja que se chama “Apple Store” é bem semelhante às originais, com a maçã e tudo. Ao entrar na loja, que tem o chão cinza (compare à loja de Paris), o consumidor encontra vários produtos da Apple dispostos em mesas de madeira. “Essas mesas são praticamente idênticas, se não idênticas, às mesas usadas pela Apple em lojas oficiais”, escreveu Mark Gurman, do 9to5Mac.

Originalmente publicada pelo BirdAbroad, blog de uma americana que mora com o marido em Kunming (cidade no sudeste da China), a história da Apple Store #fake fica ainda mais interessante quando ela relata que os funcionários da loja acreditam trabalhar para a empresa de Steve Jobs. “Começamos uma conversa com os vendedores que, juro por Deus, pensam genuinamente trabalhar para a Apple”, descreveu a blogueira, atônita.

Depois de tirar algumas fotos, ela foi abordada por seguranças da loja, que disseram que não era permitido fazer aquilo. No final, acabou conseguindo captar mais imagens, explicando que se tratava apenas de um “casal americano visitando a China”.

Ao passear por mais algumas esquinas, eles acharam mais DUAS Apple Stores extraoficiais. No país, existem quatro Apple Stores oficiais (em Pequim e Xangai).

O que é (bem) provável de imaginar é que essas lojas de “imitação” sejam apenas revendas autorizadas, que decidiram usar o mesmo design e comunicação visual das Apple Stores. E seu nome (escrito errado na segunda foto… hehe).

Ficou curioso sobre o DPad? Dê uma olhada no álbum abaixo:

Lá do 9to5Mac e BirdAbroad

Fotos: Reprodução

Tags : apple ipad


Com atualização de produtos, Apple retira MacBook do catálogo
Comentários Comente

Rodrigo Vitulli

Ué, cadê o MacBook que estava aqui? Lembra-se dele? Era feito de plástico branco, com as bordas arredondadas e servia como opção um pouco menos cara ao MacBook Pro… Pois ele é coisa do passado. Com a atualização do MacBook Air o velho MacBook foi descontinuado. Segundo o site “Engadget”, uma fonte direta da Apple confirmou que a empresa pretende mesmo aposentar o modelo de laptop.

Quem pretende comprá-lo vai dar com os burros n’água ao tentar encontrar o notebook no catálogo oficial da Apple. Ele foi removido junto com a atualização na manhã desta quarta-feira (20). Isso não quer dizer que quem tem o MacBook não poderá comprar o novo sistema operacional, OSX Lion, que funciona normalmente, desde que o usuário tenha instalado a versão Snow Leopard (10.6) do sistema.

Dica: se você quer ter um Mac, mas não quer gastar além da conta, vale ficar de olho nas lojas de varejo brasileiras. Com o produto fora de linha, o preço deve cair consideravelmente enquanto durarem os estoques.

*RIP MacBook

Lá do Engadget
Imagem: reprodução