Blog do UOL Tecnologia

Arquivo : dezembro 2011

Sátira transforma o recurso Siri da Apple em “Brinquedo Assassino”
Comentários 2

Guilherme Tagiaroli

O Siri é um dos três recursos que diferenciam o iPhone 4S da versão anterior – a saber, os outros são o processador e a resolução da câmera – e o preferido dos fãs da Apple que pegaram fila para comprar o smartphone na estreia no Brasil.

Pensando na chatice no poder de convencimento dos fãs da marca que gostam de argumentar o quão inovador é o serviço, o Rooster Teeth, produtora de vídeos americana que ODEIA “adora” a Apple e tem o costume de usar elementos de videogame em seus vídeos, fez uma pequena zueira com o recurso tão amado do novo iPhone 4S.

Em vez de fazer um vídeo falando das utilidades do Siri, eles fizeram uma sátira com o “assistente pessoal” da Apple. O nome do vídeo já dá sinais do que esperar da brincadeira: “Siri: The Holiday Horror Movie” (Siri: o filme de terror das férias).

O vídeo (todo em inglês) mostra uma celebração de Natal em que todos ganham um iPhone 4S. Um dos “felizardos” testa o Siri e pergunta “qual é o sentido da vida?” e o assistente pessoal do iPhone 4S responde: “A vida não tem sentido.” A partir daí, a história só vai piorando: em uma ocasião, o Siri conduz um motorista para um penhasco, já em outra, o Siri transforma o iPhone em uma faca e acaba assassinando o usuário.

Enfim, a sátira sugere uma espécie de revolta do Siri transformando-o numa espécie de “Brinquedo Assassino”. Para comprovar a tese, veja o vídeo abaixo (mesmo em inglês, dá para entender a ideia geral):

[uolmais type=”video” ]http://mais.uol.com.br/view/12391083[/uolmais]

__

Lá do canal do Rooster Teeth no YouTube

Imagem: Divulgação e Reprodução


Facebook ajuda famílias que perderam casas em incêndio antes do Natal – no Brasil e Inglaterra
Comentários Comente

Ana Ikeda

Além de presentes, a família Woodburn conseguiu um lar temporário, oferecido por um médico da cidade

O Facebook é palco de demonstrações bizarras, mas de vez em quando também é usado para o bem. A história de hoje é a de Sam Woodburn, mãe de 6 crianças, que teve a casa incendiada em Thurcroft (Inglaterra). Além de destruir a imóvel, o fogo acabou com os presentes que foram comprados para o Natal. A história de hoje também é sobre as famílias que perderam suas casas no incêndio na favela Moinho, em São Paulo. Veja a seguir.

Na Inglaterra, colegas de escola das crianças Woodburn, que tem idades entre 3 e 14 anos, montaram uma página no Facebook, fazendo um apelo para “salvar o Natal” da família. Em menos de 24 horas, mais de 500 voluntários ofereceram ajuda.

Estranhos doaram roupas e presentes de Natal para as crianças. Um médico da cidade ofereceu uma casa para que a família more, de graça, até achar outro lar. “Eu não sabia o que ia fazer. Seria um Natal miserável para mim e para as crianças, mas todos têm sido brilhantes”, agradece Sam.

“O apoio que tivemos de amigos, família e até estranhos é inacreditável. Em poucas horas, o apelo do Facebook funcionou e várias coisas foram oferecidas”, disse Ian Woodburn, pai das crianças.

O caso da família inglesa tem paralelo com a de centenas de famílias que ontem perderam suas casas num incêndio na favela Moinho, em São Paulo, também às vésperas no Natal. Também no Facebook, dois eventos foram criados para angariar doações para os moradores. Mais informações nos links abaixo:

Ajuda a Alunos e familiares da Favela Moinho

Incêndio atinge Favela do Moinho no centro de São Paulo


Ai se eu te pego, Europa: música de Michel Teló é top 10 na iTunes Store em 6 países do continente
Comentários 4

Guilherme Tagiaroli

Que o cantor Michel Teló é o maior artista vivo em atividade no Brasil não há dúvidas*. Depois de a música “Ai se eu te pego” estourar no país, ela já é top 10 entre as mais baixadas na iTunes Store em 6 países da Europa: Espanha (1º), Suíça (5º), Portugal (2º), Holanda (5º), Luxemburgo (9º) e Itália (1º). A informação pode ser conferida no site da Apple que mostra as músicas mais baixadas na iTunes Store.

O interessante, ao ver a boa posição da música no ranking europeu, é que mesmo em países cuja língua nativa é muito diferente do português (como o alemão, falado na Suíça, e o holandês), o Michel Teló faz sucesso.

O fenômeno “Ai se eu te pego” foi parar na Europa de uma forma muito peculiar: a música ficou conhecida no Velho Continente depois que o jogador português Cristiano Ronaldo comemorou um gol fazendo a libidinosa coreografia característica da canção.

[uolmais type=”video” ]http://mais.uol.com.br/view/12212960[/uolmais]

 

[Em tempo, no dia do lançamento da iTunes Store no Brasil, “Ai se eu te pego” também estava entre as mais baixadas do país. Michel Teló perdia para a cantora Adele. Mesmo na Argentina, a música também é sucesso: é a segunda mais baixada].

* Sim, caro leitor, é um comentário irônico.

___

Lá do site da iTunes Store da Apple (lembrando que o ranking pode mudar a qualquer momento)

Imagem: Shin Shikuma/UOL


Cofundador da Apple “desconhecido” vive recluso em cidade no deserto dos EUA
Comentários 7

Guilherme Tagiaroli

Ronald Wayne participou da fundação da Apple, mas deixou a companhia após ouvir os planos de Steve Jobs

Quando se ouve falar de Apple, basicamente dois nomes são citados: Steve Jobs e Steve Wozniak, que criaram no fundo da garagem o Apple I, considerado um dos primeiros computadores pessoais. No entanto, há uma terceira figura que participou da fundação da empresa. Poucas pessoas conhecem, mas Ronald Wayne era o “adulto responsável” pelas finanças da empresa e o autor do primeiro manual técnico do Apple I.

Um dos episódios mais conhecidos da história de Wayne relacionados à Apple foi o fato de ter vendido suas ações. Na época, os jovens Steve Wozniak e Steve Jobs, que tinham cerca de 20 anos, deram  ao “velho Wayne” (com 30 anos na época) 10% da Apple. No entanto, Wayne, após ouvir os planos de Jobs em pedir empréstimos, ficou assustado, pois era o único dos três que tinha bens. Logo, caso houvesse falência, tudo que ele tinha seria usado como pagamento.

Por ter “vendido” sua parte, ele recebeu US$ 2.300 na época. Se em 2010 ele ainda tivesse os 10% da empresa, ele teria uma fortuna estimada na ordem de US$ 2,6 bilhões (!!!!!!!!!!!!!!!).

Wayne, segundo a reportagem, vive em Pahrump – uma cidade no meio do deserto e próxima à Las Vegas (EUA), que tem vários cassinos.  Ele leva uma vida simples [com um salário de aposentado nos EUA] e já até escreveu uma autobiografia chamada “Adventures of an Apple Founder” (As aventuras de um fundador da Apple, em tradução livre). Discreto, as pessoas da cidade mal sabem que entre eles há um dos participantes da construção da empresa de tecnologia mais valiosa do mundo.

Na reportagem, ele conta que Steve Wozniak  escreveu a introdução do livro. Já Steve Jobs, que sempre foi estrela [se você duvida, clique aqui], respondeu por e-mail da seguinte forma a solicitação para participar do livro feita por Ron Wayne: “Eu não acho que você é um fundador da empresa”, respondeu Jobs em 2000.

Independente de Jobs achar ou não, dê uma olhada abaixo nos nomes que constam no contrato de fundação da Apple. A assinatura do Ronald é a terceira [Detalhe: o contrato abaixo foi a leilão e foi vendido por US$ 1,6 milhão]:

Lá do Engadget

Imagem: Reprodução/Engadget e Efe/Sotherby’s


Israelense muda nome para “Mark Zuckerberg” em resposta à ação judicial do Facebook
Comentários Comente

Ana Ikeda

Depois de apagar o perfil de “Mark Zuckerberg”, advogado homônimo do criador da rede social, chegou a vez de o Facebook ter problemas com mais um Marquinho, mas agora em Israel.

Rotem Guez é um empreendedor israelense que conseguiu mudar legalmente seu nome para “Mark Zuckerberg”. O ato para lá de estranho faz parte da estratégia de Guez em “irritar” o verdadeiro Marquinho, já que o Facebook fechou neste ano um serviço que o israelense havia desenvolvido, a “Like Store”. Com a loja, ele prometia melhorar a visibilidade de empresas na rede, vendendo “Likes”. Assim, usuários curtiam a página das companhias, mesmo sem, de fato, gostarem delas.

A tal loja dos “Likes” viola os termos de responsabilidade dos desenvolvedores e acabou sendo fechada pelo Facebook. Foi então que Guez abriu um processo contra a rede social para restaurar o serviço que ele criou – e seu perfil pessoal, que também foi apagado da rede social.

Em uma contra-ação, a empresa de advocacia contratada pelo Facebook respondeu que Guez desistisse do processo, fechasse sua companhia e nunca mais acessasse os serviços da rede social novamente.

A resposta de Guez foi mudar de nome e declarar “guerra” à empresa. “Se quiserem me processar, terão de processar Mark Zuckerberg”, disse. Até mesmo passaporte ele já providenciou com o novo nome (veja abaixo). E, claro, uma página na rede social: I’m Mark Zuckerberg.

Ao blog “ZDnet”, a empresa afirmou que “proteger seus usuários é a primeira prioridade e que toma atitudes contra quem viola seus termos”.

É, Marquinho, não tá fácil ser o único Mark Zuckerberg no mundo…

Lá do ZDNet.

Imagem: Reprodução/Facebook.


Nada de arroz ou brigadeiro de colher: o que o brasileiro busca aprender no Google é como fazer panqueca
Comentários Comente

Guilherme Tagiaroli

Como em todo fim de ano, o Google liberou recentemente a lista dos assuntos mais buscados em diversas áreas durante o ano. Chamado de Zeitgeist, palavra alemã que significa “espírito do tempo”, a lista com as buscas feitas por brasileiros traz resultados interessantes na área de How To (buscas do Google feitas com a sintaxe “como faço para”).

Se alguém perguntasse a qualquer brasileiro qual é a comida que o povo daqui mais busca saber como faz, imagino que a maioria das respostas tenderia ao de pratos comuns como arroz, feijão ou mesmo como fazer brigadeiro. Porém, o único prato presente no TOP 10 de buscas do How To é PANQUECA, que ficou em 9º lugar entre os itens mais procurados. E não é qualquer tipo de panqueca não. O brasileiros que buscam no Google querem fazer aquelas panquecas americanas (como esta da imagem acima), com várias camadas e acompanhamentos que fazem bem à saúde (#not).

Nos primeiros lugares da lista do “How To” estão, respectivamente, “como fazer [uma conta no] Facebook”, “como excluir [uma conta no] Facebook” e  “como tirar passaporte”. O que mostra, basicamente, que os usuários brasileiros estão cada vez mais engajados em usar o Facebook e de como as pessoas estão interessadas em viajar para o exterior. Aliás, o Orkut [rede social finada para alguns] também aparece na lista com o resultado em “como Recuperar [uma conta no] Orkut” em 4º lugar.

Em escala global, o Brasil não aparece muitas vezes. As referências mais relevantes são o UFC Rio (evento de MMA realizado em agosto de 2011) – que ficou em 4º entre os termos relacionados à esporte que apresentaram rápido aumento de menções – e as enchentes no início do ano na região serrana do Rio de Janeiro – este fato só aparece no vídeo do Google Zeitgeist.

Veja abaixo os termos mais buscados no Google no ano de 2011:

Google Zeitgeist 2011

Veja Álbum de fotos

__

Lá do Google Zeitgeist

Imagem: Thinkstock


Foursquare usa Ponte Estaiada como símbolo para “badge” da cidade de São Paulo. Curtiu?
Comentários Comente

Ana Ikeda

Nem Masp, nem Museu do Ipiranga ou mesmo Avenida Paulista: o Foursquare, rede social que funciona como ‘radar de internautas’, escolheu a Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira como símbolo para a cidade de São Paulo em uma das duas novas condecorações apresentadas nesta quinta (15).

A badge “Sampa” consegue ser destravada quando o usuário fizer check-in em cinco locais específicos entre 53 listados pelo Foursquare. Ela foi criada, segundo a rede social, com base em sugestões de usuários do serviço.

Quer saber quais são? Lá vão alguns deles:

1.    Parque do Ibirapuera

2.    Praça da Liberdade

3.    Rua Oscar Freire

4.    Aeroporto de Congonhas

5.    Monumento às Bandeiras

6.    Catedral da Sé

7.   Fundação Parque do Zoológico

8.    Estação da Luz

9.    Hotel Unique

10.  Sambódromo

11.   Autódromo de Interlargos

12.   Estádio do Pacaembu

13.   Estádio do Morumbi

14.   Rua Vinte e Cinco de Março

15.   Avenida Paulista

Veja a lista completa aqui.

E justamente a Ponte Estaiada não está entre os 53 lugares listados para check-in.

Que tal inclui-la, Foursquare?

Tags : foursquare


Facebook dá uma “mãozinha” na organização da sua agenda nesse fim de ano
Comentários Comente

Ana Ikeda

Todo final de ano é a mesma coisa: correria. É amigo secreto, festa da firma, almoço de balanço, programação da ceia de Natal, da viagem de Revéillon… fora os aniversários (gente, por favor, podemos comemorar em janeiro?). Há quem combine tudo por e-mail, mas se você tem Facebook, algumas ferramentas da rede social ajudam (ou tentam ajudar) a organizar o caos na agenda e na comunicação.

Eventos: Muito usado para combinar com os amigos aquela baladinha de aniversários, por que não para marcar o amigo secreto (roubado, ladrão, oculto, livro, etc)? Para quem nunca usou, o recurso pode ser acessado logo na página inicial do Facebook, assim que você acessa sua conta, no menu vertical à esquerda.

Ao clicar em Criar Evento, basta depois preencher o nome da ocasião, selecionar a data, local e os detalhes. O melhor é que dá para selecionar os convidados (confira direitinho, se não alguém fica sem presente!).  O convite vai aparecer nas notificações do seu amigo, que pode aceitá-lo ou não. Depois é só ir acompanhando quem confirmou presença.

Notas: A ferramenta de notas é uma das menos usadas, mas bastante útil, principalmente quando você precisa escrever um texto um pouco mais longo – uma receita, por exemplo. Você pode compartilhar, junto com o texto, uma foto do prato (ou da Ceia de Natal inteira, se estiver animado).

Para escrever uma nota, é preciso acessar sua página de perfil. A opção está no menu horizontal à esquerda.

Grupos: Já está combinando a viagem para a praia? Decidindo quem leva o quê na Ceia na cada da vó? Há quem faça isso por e-mail, mas às vezes as conversas vão ficando gigantes e você acaba se perdendo. Uma alternativa é criar grupos, que tem um funcionamento bem parecido ao de um perfil individual: você pode escrever posts, adicionar fotos e fazer enquetes/perguntas. Funciona bem, inclusive, para o pós-festas, para compartilhar lembranças, fofocas, vídeos, etc.

Você consegue criar um grupo na página inicial depois de fazer o login na rede. A opção está no menu horizontal à esquerda. É possível definir um nome para ele, quais seus membros e, muito importante, o nível de privacidade. Escolha o “Secreto” se não quiser bicões na sua festa :D

Cartões de Boas Festas: Sim, eles ainda existem! Para quem usa Skype, há o aplicativo “Say it with Skype” (Diga com o Skype). Você escolhe uma das bandas (entre elas está a de Alice Cooper cantando Merry Christmas… impagável!), escreve sua mensagem (é possível personaliza-la em português) e, se estiver animado, pode cantar junto com a banda. Depois, o vídeo é postado direto no mural do seu amigo. Para acessar o aplicativo, clique aqui.

Existem milhares de aplicativos para enviar cartões e mensagens, basta usar a busca dentro do próprio Facebook. Mas como a maioria deles é de gosto duvidoso (saca muito brilho e movimento?), deixaremos a cargo do leitor a escolha :P

Lá do Facebook.

Imagens: Reprodução.


Planking, owling e… turkeying: depois da tábua e da coruja, chegou a vez de imitar o peru de Natal
Comentários Comente

Ana Ikeda

Nem acredito que acabei de escrever esse título (#medo). Mas o ano de 2011 foi marcado por essas modinhas (para alguns, incompreensível) de tirar foto em lugares pitorescos fazendo pose de alguma coisa e depois publicá-la no Twitter e Facebook. Tábua e coruja foram as mais famosas delas. E agora, lá vem o peru. Com todo respeito, gente!

Num arroubo de criatividade (#medo), uma empresa de intercâmbios brasileira decidiu promover um concurso em que as pessoas têm de mandar fotos fazendo Turkeying, uma referência à palavra turkey (do inglês, peru).

A pose é essa abaixo:

Aqui, o #comofaz:

Quem mandar a melhor foto (atenção, pessoal, cuidado com a segurança na hora da pose), ganha… adivinhe o quê?

Uma viagem ao Peru.

Fica a critério do leitor julgar se conhecer Machu Pichu valeria a foto para lá de pitoresca. Ronald Rios acha que sim.

Precisa de inspiração (#medo)? Veja a seguir algumas poses inusitadas do ”owling”:

Depois do ”planking”, chega a vez da pose da coruja

Veja Álbum de fotos

Imagem: Divulgação


Imagem de carro roubado postada no Facebook leva jovem à prisão
Comentários 6

Guilherme Tagiaroli

Dean Fallow, 20, postou imagens de carrões roubados em seu perfil no Facebook e foi preso

No Reino Unido, não é diferente o ímpeto de os jovens aparecerem com carros bacanas em eventos públicos ou mesmo nas redes sociais. Porém, numa demonstração ímpar de inteligência, o britânico Dean Fallow, 20, (foto acima) resolveu atualizar seu álbum no Facebook com fotos dele posando com carrões.

O problema é que os carros os quais Dean posava foram roubados por seus amigos. Ele foi descoberto, pois uma das vítimas reconheceu o carro enquanto navegava na rede social. Na foto utilizada por Dean, ele posava em um Audi A3.

“Eu gosto de carros e eu queria ter a foto de alguns deles no meu Facebook”, disse Dean ao juiz que decretou sua sentença. Ele ainda completou argumentando que passou pouquíssimos segundos dentro do carro e, que por isso, não deveria ser preso.

O advogado de Dean argumentou com o juiz que seu cliente foi um “laranja”: tirou as fotos, mas não tinha nenhuma relação com o caso. No entanto, o jovem tinha dito anteriormente ao juiz que já tinha vendido joias roubadas pelos seus amigos Damon Keegan, 20, e Wilhelm Aaron, 18. – que também são responsáveis pelo roubo dos carros.

No fim do julgamento, Dean Fallow pegou 15 meses de prisão. Só por ter querido pagar de gatão no Facebook.

___

Lá do “The Daily Mail”

Imagem: Reprodução/The Daily Mail

Tags : facebook