Blog do UOL Tecnologia

Categoria : Redes sociais

WhatsApp deve receber novos stickers e emojis, como os do Facebook
Comentários COMENTE

Bruna Souza Cruz

O Whatsapp planeja disponibilizar aos usuários stickers e emojis do Facebook. Quem traz a notícia é o perfil @WABetaInfo, que antecipa no Twitter testes feitos no aplicativo, antes mesmo de eles entrarem na versão beta.

Ainda não há detalhes sobre como e quando eles estarão disponíveis, mas já dá para ter uma ideia de como eles serão:

Os stickers já são um sucesso em aplicativos concorrentes do WhatsApp, como o Telegram.

Ao comentar a novidade, o @WABetaInfo aproveitou para ressaltar que o mensageiro tem usado cada vez mais a infraestrutura do Facebook para melhoria. “Isso significa que o WA usará (também) os servidores do PFB para gerenciar as conexões?, postou.

Recentemente, o @WABetaInfo também contou que WhatsApp já testa o botão para desfazer o envio, uma ferramenta para ver a localização dos amigos em tempo real e a possibilidade de favoritar conversas no topo com a função ”pin”, que deixaria os chats que você escolheu fixados no topo do aplicativo.

Agora é torcer para os recursos virarem realidade logo.


WhatsApp testa stickers, filtros para fotos e resposta rápida
Comentários COMENTE

Fabiana Uchinaka

Preparados para mais novidades que estão sendo testadas pelo WhatsApp? Pelo menos três itens devem receber atualizações: fotos, GIFs e resposta.

A atualização mais bacana parece ser esta: adicionar filtros às suas fotos, como já acontece em aplicativos concorrentes do mensageiro do Facebook.

Os stickers no WhatsApp estão vindo

Segundo o perfil @WABetaInfo, que antecipa no Twitter testes feitos no aplicativo, antes mesmo de eles entrarem na versão beta, os filtros também poderão ser adicionados aos vídeos e GIFs.

A parte de GIFs será “completamente redesenhada”, de acordo com a fonte, e as imagens poderão ser estreladas. Os stickers também devem voltar e receber uma área especialmente para eles.

Gifs também são novidade

Quem usa o sistema iOS, da Apple, também deve receber em breve uma nova configuração dos contatos, abaixo do Status, e o recurso de “resposta rápida”.

Com ele, em vez de colocar o dedo em cima da mensagem e segurar até que apareça a opção “responder”, o usuário só precisará deslizar o dedo para a direita, por cima da mensagem a ser respondida. Veja como, no vídeo abaixo:

Recentemente, o @WABetaInfo também contou que WhatsApp já testa o botão para desfazer o envio, uma ferramenta para ver a localização dos amigos em tempo real e a possibilidade de favoritar conversas no topo com a função ”pin”, que deixaria os chats que você escolheu fixados no topo do aplicativo.

Curtiu? Agora é torcer para os recursos virarem realidade logo.


Sonho está virando realidade: WhatsApp já testa botão para desfazer envio
Comentários 29

Bruna Souza Cruz

Já faz tempo que circulam rumores de que o WhatsApp anda testando um recurso que te dá alguns minutos para apagar a mensagem enviada. Mas uma nova descoberta feita pelo perfil @WABetaInfo, que antecipa no Twitter testes feitos no aplicativo, mostra que o sonho de muita gente está virando realidade.

O WhatsApp deve inserir nas próximas atualizações a opção “desistir” (unsend) depois do envio da mensagem.

A opção apareceu na versão teste do iOS 2.17.21, sistema operacional da Apple. Ainda não há previsão para que chegue na versão beta ou na oficial, mas os testes estão avançando.

Atualmente, se você apaga uma mensagem, ela some apenas da sua conversa. Com o novo recurso, você pode apagar a mensagem enviada, e o contato não terá acesso a ela.

Claro, não é possível garantir que o seu contato não tenha lido a mensagem enviada. Mas se o arrependimento acontecer segundos depois do envio, a chance de que ninguém tenha visto o conteúdo é bem grande.

Fala se não vai ser ótimo poder apagar uma mensagem enviada antes que o contato a veja? Ainda não há outros detalhes sobre a funcionalidade, mas aguardamos ansiosos a atualização oficial do aplicativo.


Veja também: Seguir pessoas e favoritar conversa: o que pode surgir de novo no WhatsApp


Seguir pessoas e favoritar conversa: o que pode surgir de novo no WhatsApp
Comentários COMENTE

Gabriel Francisco Ribeiro

O WhatsApp prepara uma mudança interessante para o futuro. O mensageiro ofereceu em uma versão beta a possibilidade de favoritar conversas no topo com a função “pin”, que deixaria os chats que você escolheu fixados no topo do aplicativo.

A função foi descoberta pelo perfil @WABetaInfo no Twitter e seria um teste realizado na versão para a Web do popular aplicativo de mensagens. Não há previsão ou confirmação de que isso pode chegar aos usuários.

O mesmo perfil do Twitter já havia feito nesta semana um vídeo mostrando como ficará a nova ferramenta para ver a localização dos amigos em tempo real. O recurso é comentado desde janeiro, mas ainda está sendo testado pelo mensageiro.


Outra possível mudança que pode ocorrer em breve no WhatsApp tem a ver com o ícone de enviar localização, que pode sofrer uma reformulação.


Esse teste foi visto em uma versão beta do WhatsApp para Android .


Gárgulas modernas? Arquiteto usa emojis em fachada de prédio na Holanda
Comentários COMENTE

Bruna Souza Cruz


Para fugir da arquitetura clássica, um arquiteto holandês decidiu colocar 22 emojis na fachada de um prédio na cidade de Amersfoort (cerca de 50 km de Amsterdã). Carinhas de alegria, paixão e de medo foram tiradas do WhatsApp e feitas em 3D.

As “gárgulas modernas” foram inseridas para dar um ar de modernidade, segundo o arquiteto Changiz Tehrani. A construção do edifício foi finalizada em 2015.

“Os estudantes sentam-se na praça, almoçam e tiram fotos. Eles gostam disso. Na nossa arquitetura sempre gostamos de colocar pequenos detalhes que tornam o projeto um pouco mais do que um edifício chato”, afirmou Tehrani ao site “The Verge”.

“Não sei se as pessoas mais velhas reconhecem o emoji”, diz ele. “Mas se você tem um smartphone, você terá visto eles”, acrescentou.

E, aí? Vai virar tendência?

Os 22 emojis são todos de concreto

O arquiteto Changiz Tehrani usou moldes de gesso para fazer as peças em 3D

O edifício é um misto de lojas e apartamentos residenciais

 


Mundo mais conectado e distante? Facebook aposta até em “festas virtuais”
Comentários 1

Gabriel Francisco Ribeiro

Cada pessoas terá seu próprio avatar no mundo virtual do Facebook (Crédito: Reprodução)

Se você acha que redes sociais como Facebook deixaram as pessoas mais distantes umas das outras e conectadas apenas pelo mundo virtual, isso pode ser levado a um novo nível pela empresa de Mark Zuckerberg. No primeiro dia da F8, sua conferência anual, a companhia apostou suas fichas na realidade virtual e na realidade aumentada.

A expectativa do Facebook, que investe forte na tecnologia de realidade virtual desde o ano passado, é que os usuários “aproveitem experiências sociais em uma realidade virtual”. Ou seja: será a famosa sensação de proximidade uma pessoa, mesmo estando absurdamente distante dela. Isso já acontece atualmente com o Facebook, mas pode ser levado a novo nível.

Festas virtuais? Sério?

Uma das principais novidades apresentadas pelo Facebook é o Facebook Spaces. Isso basicamente será uma forma das pessoas se encontrarem com amigos por meio de uma dimensão digital. Ou seja: cada um em sua casa poderá colocar seu óculos de realidade virtual (Oculus Rift ou Samsung Gear VR com respectivos controles) e se encontrar para conversar em um mundo virtual.

As pessoas terão seu próprio avatar para deixar o personagem no óculos mais parecido com você, a partir de suas fotos no Facebook – e se você não tem VR, pode participar da conversa por meio de videochamada do Messenger. A chefe de VR do Facebook, Rachel Franklin, chegou a afirmar que a realidade virtual tem o potencial de ser “a mais poderosa plataforma social”.

Avatar será baseado em fotos do usuário no Facebook (Crédito: Reprodução)

Por enquanto, o “encontro virtual” está em estágio rudimentar e funciona apenas com as pessoas sentadas em volta de uma mesa para evitar que as pessoas saiam andando por aí. Ferramentas na sua frente te dão acesso a qualquer coisa arquivada em seu Facebook (fotos, vídeos, vídeos em 360 graus), assim como pau de selfie para tirar fotos do seu grupo no mundo virtual e uma caneta para escrever coisas no ar.

No vídeo apresentado no evento, houve até uma festa surpresa organizada por amigos no mundo virtual (veja mais no vídeo abaixo). Isso aparenta ser uma coisa bem triste e impessoal se virar uma tendência no mundo futuramente.

Por um lado, essa ferramenta poderia ser útil para unir amigos ou familiares longe em um espaço que consigam interagir com várias ferramentas. Mas peca (e pecará) muito pela falta de interação humana – e isso pode apenas fazer a saudade aumentar. Se as videochamadas, em que estamos ao menos vendo o outro em carne e osso, já deixam esse sentimento, imagine um mundo totalmente virtual.

A intenção do Facebook para o futuro é ir muito além no Spaces. Há a possibilidade de o computador transmitir simultaneamente todos os seus movimentos – a versão atual é “1%” do que a rede social quer.

Realidade aumentada também ganha importância

Uma outra tecnologia que tomou muito tempo na conferência do Facebook foi a realidade aumentada, que ganhou mais fama graças ao jogo Pokémon GO. A rede social, que atualmente já passa a ser muito mais do que isso, ofereceu diversos exemplos de como pode ajudar a moldar um mundo com uma realidade aumentada mais presente em nossa rotina e chamou a tecnologia de “o início de uma nova plataforma”.

O Facebook, por sinal, lançou uma plataforma de efeitos de câmera para que desenvolvedores possam explorar tecnologias como a realidade aumentada na câmera do Facebook. Um exemplo dado foi que se você faz um vídeo ao vivo de um evento esportivo, o filtro de realidade aumentada pode reconhecer o que está acontecendo e adicionar efeitos de acordo com o momento.

É claro também que houve exemplos bizarros e sem sentido. Um deles é de uma mulher deixar um recado digital para o marido na geladeira, que pode ser visto apenas pelo smartphone. Sério, qual o problema de simplesmente deixar um recado físico em papel na geladeira? Faz muito mais sentido e é bem mais prático.


País planeja banir Facebook todo dia por 6h; imagina se a moda pega?
Comentários 8

Fabiana Uchinaka


O governo de Bangladesh lançou uma proposta inusitada: bloquear o Facebook da meia noite às 6h, todo santo dia, “pelo bem dos estudantes e jovens”, que estão sendo “afetados” em suas “capacidade de trabalho” por conta da rede social.

A discussão foi parar na comissão reguladoras das telecomunicações do país, que passou horas discutindo o assunto e concluiu que a iniciativa era inviável: é impossível bloquear o Facebook apenas para estudantes, porque não há uma forma efetiva de identificar a idade dos usuários.

Fora que as pessoas podem usar redes privadas virtuais e servidores proxy para contornar o bloqueio, além de existirem outros programas tão distrativos quanto, como WhatsApp, Viber, IMO… O bloqueio prejudicaria ainda quem quer conversar com pessoas de outros países.

Segundo o jornal “The Daily Star”, o órgão concluiu que pais, escolas e a mídia devem se envolver, em vez de se impor um bloqueio ao site. Ele recomenda usar ferramentas de controle parental, privacidade e recursos de segurança para ajudar os jovens a usar suas contas na rede social de forma adequada.

Mas esta é só uma recomendação, cabe ao governo decidir sobre o caso, explica o jornal.

A Associação de Software e Serviços de Informação de Bangladesh já prometeu ir para as ruas protestar, caso a proposta avance. “Os estudantes usam o Facebook para seus estudos em grupo, e os burocratas precisam entender isso”, disse Mustafa Jabbar, presidente da entidade, ao “The Daily Star”.

Em 2015, o governo de Bangladesh já bloqueou durante 22 dias sites como Facebook, Facebook Messenger, Viber e WhatsApp. Em 2012, o YouTube ficou fora do ar por 260 dias. Então, o risco é real.

Já pensou? Você iria para as ruas para ter direito ao Facebook?


Não é só berinjela! Grindr lança gaymojis, e eles são divertidíssimos
Comentários COMENTE

Márcio Padrão

A cada ano ganhamos mais e mais emojis nos sistemas operacionais, mas sempre acabam faltando aqueles que representam as minorias. Por exemplo, demoraram, mas chegaram, os bonequinhos muçulmanos e ruivos. A última leva também incluiu mais emojis gays. Mas parece que foi pouco.

O app de paquera Grindr, voltado para o público gay, lançou um novo aplicativo só para ampliar a biblioteca de ícones do celular. Com o adequado nome Gaymoji, ele está disponível para iOS e Android e acrescenta mais 500 emojis na versão completa do app, que custa US$ 3,99 (a gratuita só tem 100 emojis).

Os usuários poderão “enfeitar” mais as conversas com seus pretendentes, com significados divertidíssimo.

Na imagem acima, a lápide com a inscrição “me” (eu) nada mais é do que o popular “morri” ou “tô morta”. A nuvem remete ao famoso verso “it’s raining men” (ou chuva de homens). Tem também o peitoral cabeludo, o ganso, a ligação para o “pêssego”.

“Em parte, este projeto começou porque o conjunto atual de emojis estabelecido por algum conselho internacional era limitado e não evoluia rápido o suficiente para nós. Se eu quisesse dizer alguma coisa sobre dançar, eu sempre teria que usar a dançarina de vestido vermelho. Eu pensei: ‘Por que não há um cara dançando?”, disse o fundador do Grindr, Joel Simkhai, ao “New York Times”.

Pois agora tem.


O brasileiro não está sabendo lidar com o Status do WhatsApp
Comentários 2

Fabiana Uchinaka

Se tem uma coisa que a nova atualização do WhatsApp mostrou é que os gringos que bolam essas novidades não entendem como funciona o Brasil. Desde que o Status substituiu a aba de contatos, só o que o brasileiro faz é chorar no Twitter a perda dos status antigos.

Lembra? Dava para colocar “Ocupado”, “Disponível”, “Na academia”. Mas também dava para personalizar. Existiam até páginas e mais páginas com “frases para status do WhatsApp”, divididas inclusive em subcategorias como “indiretas”, “bonitas”, “originais” e “para refletir”. 

Como vamos fazer agora para mandar aquela indireta para o crush? É o que a internet brasileira quer saber.

No Twitter, a hashtag #KdMeuStatusdoWhats se tornou um dos trending topics no Brasil:

Não tá fácil…

Até o padre tá sofrendo:

Mas, para quem está sofrendo, fica aqui a dica do amigo internauta:


Twitter agora coloca de castigo quem tiver comportamento abusivo
Comentários 1

Fabiana Uchinaka

O Twitter finalmente resolveu investir em melhorias para evitar comportamentos abusivos, especialmente de contas anônimas que ‘causam’ na redes social, os chamados “trolls”.

O ex-diretor-geral do Twitter Dick Costolo reconheceu em 2015 que a rede social estava atrasada na luta contra o assédio online e que isso havia prejudicado o crescimento da plataforma. A empresa anunciou há alguns dias que tomou medidas para identificar as pessoas suspensas permanentemente para evitar que elas criem novas contas anonimamente. Também tornou a busca mais segura, excluindo tuítes com ‘conteúdo potencialmente sensível’ ou de contas bloqueadas e fechadas. Os engenheiros do Twitter identificaram ainda “respostas potencialmente agressivas ou de qualidade pobre que influenciem as conversas mais relevantes”.

Agora, o Twitter decidiu colocar de castigo quem se comportar mal. Segundo o BuzzFeed, alguns internautas já estão recebendo mensagens com um aviso de “time-out”, também conhecido como “vai para o seu quarto pensar”.

Quem postar coisas consideradas impróprias é alertado de que “só os seus seguidores pode ver sua atividade no Twitter pelo tempo mostrado abaixo”. Com isso, os tuítes têm seu alcance drasticamente limitado.

O Facebook tem uma tática parecida. Os donos das páginas, por exemplo, podem ocultar comentários, que são vistos apenas pelos amigos da pessoa que comentou.

Claro que os internautas chiaram, mas a moderação é uma velha conhecida de quem participa de fóruns.

O Twitter avisou que o principal objetivo é fazer da plataforma um lugar mais seguro. “Defendemos a liberdade de expressão e as pessoas poderem ver todas as opiniões sobre o mesmo tema. Mas isso é questionado quando as agressões e o assédio reprimem ou calam as vozes. Não vamos tolerar isto e estamos planejando novas medidas para evitar”, disse o vice-presidente do Twitter a cargo da Engenharia, Ed Ho, em um comunicado.