Blog do UOL Tecnologia

Categoria : Vida digital

Juíza do caso Apple x Samsung fica furiosa com uso de smartphones em sessão
Comentários COMENTE

Guilherme Tagiaroli

Apple e Samsung voltaram à corte nos Estados Unidos. A empresa americana acusa a sul-coreana de copiar recursos e quer que a companhia asiática pague US$ 2 bilhões por usar tecnologia não licenciada. No entanto, outro fator tem preocupado a juíza Lucy Koh, responsável pelo caso: as pessoas não desligam o smartphone durante as sessões.

Judge Lucy Koh

Lucy Koh é a juíza responsável pelo caso entre Apple e Samsung; só não invente de deixar o smartphone ligado quando ela estiver presidindo uma sessão…

O julgamento é constantemente interrompido por problemas de mau uso da tecnologia pelos participantes. São telefones que não param de tocar ou pessoas que assistem ao julgamento que não param de usar o Wi-Fi da corte.

“Infelizmente, a transcrição parou de funcionar novamente durante a manhã. Por favor, deixe seu aparelho desligado. Se precisar, vá para outra sala”, disse a juíza antes de uma interrupção para o almoço nesta quarta-feira (9).

A juíza e os advogados usam a transcrição feita ao vivo (que é transmitida via Wi-Fi) para revisar os testemunhos e analisar objeções pedidas pelos advogados. Mas com tantos computadores, tablets e smartphones conectados, o sistema cai direto.

Mesmo assim, ignoraram a juíza. Quando a sessão voltou, ela notou que havia um advogadoa utilizando um smartphone. Lucy Koh ficou bastante irritada e perguntou por que as pessoas estavam usando a conexão Wi-Fi. “Eu não entendo o que todos vocês estão fazendo aqui”, disse.

Em casos mais extremos, a situação pode piorar para quem descumpre as leis da corte. Durante sessão desta quarta-feira (9), David Reibstein, professor de marketing, estava acompanhando a sessão e tirando fotos. Não deu outra: foi tirado da sala, interrogado por um policial e ainda teve de apagar as imagens para voltar ao local.

O desfecho do processo entre Apple e Samsung deve ser conhecido até o fim do mês.#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/guerra-de-patentes-entre-apple-e-samsung-1396303795008.vm’)

__
Lá da AP
Imagem: Jason Doiy/AP/The Recorder.


Criador do Tinder namora herdeira da Dell; casal teria se conhecido via app
Comentários COMENTE

Juliana Carpanez

Sean Rad, 27, e a Alexa Dell, 20, em foto publicada no “New York Times”

Sean Rad, 27, e a Alexa Dell, 20, em foto publicada no “New York Times”

Uma reportagem publicada nesta quarta-feira (9) no “ValleyWag”, site com os bastidores do Vale do Silício, indica que pelo menos uma pessoa se deu muito bem no Tinder: o próprio criador do aplicativo de pegação. Sean Rad, 27, garante que seu app deu origem ao namoro de quatro meses com Alexa Dell, 20 (também conhecida como filha de Michael Dell, dono da fabricante de computadores Dell, com fortuna estimada pela “Forbes” em US$ 17,6 bilhões).

O casal não comenta o relacionamento – Rad contou à “Businessweek” que conheceu a namorada no Tinder, sem citar o nome da garota. Mas o “ValleyWag” reproduz fotos em que eles aparecem juntos (inclusive no “New York Times”, em reportagem sobre as festas de empresas de tecnologia). No Instagram de Alexa, Rad aparece na foto de apresentação. No de Rad, a imagem de abertura retrata o casal. Os dois perfis na rede social de fotos são trancados.

Alexa ganhou notoriedade em 2012 justamente por se expor demais nas redes sociais. Enquanto seu pai gastava US$ 2,7 milhões (cerca de R$ 5,95 milhões) com a segurança da família, a garota publicava no Twitter posts que mostravam sua exata localização, além de informações sobre quando os Dell chegavam e partiam de determinadas cidades.

O ápice da exposição foi quando ela publicou no Instagram uma foto de seu irmão Zachary em um avião particular, e a imagem foi parar no Rich Kids of Instagram (Tumblr que reúne as “crianças ricas do Instagram”). Na sequência, Alexa deletou sua conta no Twitter e também a polêmica foto. Mas ela voltou ao microblog, que permanece aberto.

Lá do Valleywag
Foto:  New York Times


Vídeo: poucos segundos de distração com SMS ao volante já são fatais
Comentários COMENTE

Ana Ikeda

A NHTSA (sigla em inglês para Administração Nacional de Tráfego e Segurança Viária), órgão federal dos Estados Unidos, iniciou uma campanha de conscientização para motoristas sobre o perigo de enviar mensagens de texto pelo celular.

O vídeo (em inglês) tem apenas 30 segundos, mas mostra como uma rápida distração do motorista com o SMS pode ser fatal. Se você é sensível, evite assistir às imagens abaixo:


 

O slogan da campanha é “Você dirige, você envia o SMS, você paga” e tem os jovens como principal público alvo. Segundo uma pesquisa recente, publicada no The New England Journal of Medicine, os motoristas jovens, com menos experiência, tem oito vezes mais chances de sofrerem um acidente ao usarem o celular no carro.

No país, o tema é levado a sério, a ponto de alguns Estados criarem leis específicas para punir os motoristas que enviam SMS. Em Nova Jersey, a Justiça chegou ao extremo e decidiu que uma pessoa que envia a mensagem de texto via celular para um motorista dirigindo também pode ser responsabilizada, caso o destinatário provoque um acidente.

Outro vídeo de conscientização do perigo do SMS ao voltante foi feito pelo cineasta alemão Werner Herzog, de “Caverna dos Sonhos Esquecidos”. O documentário de 35 minutos mostra depoimentos de cinco pessoas que tiveram as vidas mudadas para sempre após acidentes de trânsito causados pela distração com o envio de SMS. O objetivo é frisar que a mensagem “pode esperar” para ser enviada.
#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/leia-mais-sobre-uso-de-celular-ao-volante-1396900979841.vm’)

Lá do Mashable.

Imagem: Reprodução.


Aplicativo para iPhone promete emagrecer visual em até 7 kg
Comentários COMENTE

Guilherme Tagiaroli

Um aplicativo britânico promete melhorar seus selfies (autorretrato, em inglês). Se a natureza não ajuda muito, o SkinneePix diz reduzir em até 15 libras (6,8 kg) do rosto da pessoa fotografada, apenas com alguns truques de edição de imagem.

Disponível na loja da Apple desde o início de março deste ano, a descrição do aplicativo diz que ao utilizá-lo, ele fará “você se sentir melhor” e que as alterações serão como “nosso segredo”.

Ok. Depois de todas essas promessas, decidi desembolsar US$ 0,99 para testar o aplicativo. Baixei e na sequência abri o programa.

Ele abre a câmera frontal do aparelho e mostra um quadrado, onde a pessoa deve posicionar seu rosto. Após isso, o programa analisa as características da foto e libera os botões milagrosos que farão você perder até 6,8 kg.

Depois de algumas tentativas (se ele não reconhece seu rosto, é necessário tirar outras fotos), eis que consegui. E o resultado foi ok: ele, basicamente, deu uma reduzida no meu rosto na região da bochecha.

selfies

À esquerda, a foto convencional; à direita, meu rosto com aparência de menos 6,8 kg

Repare que o aplicativo também deu uma leve distorcida no fundo. No entanto, nesse caso, só é possível perceber, pois tem um “antes e depois”.  Se for usar o aplicativo, é recomendável tirar a foto em fundo neutro (preferencialmente, numa parede de uma cor só), para não deixar pistas que a imagem foi alterada.

A repórter Elena Cresci (abaixo), do jornal britânico “Guardian”, utilizou o aplicativo em uma foto e não gostou muito do resultado. “Eu fiquei com uma aparência esquelética e cansada. As maçãs da minha bochecha ficaram grandes e minhas orelhas ficarem desproporcionais.”

selfiguardian

Para mim, que não gosto de tirar muito selfies, foi só mais uma foto tirada que vou apagar e US$ 0,99 a menos para gastar dos meus créditos da loja de aplicativo da Apple.

__

Lá do Guardian

Imagens: Guilherme Tagiaroli/UOL e Reprodução/Guardian.

Tags : app selfie


Esqueça o selfie: serviço promete ao turista fotos à la ‘Ilha de Caras’
Comentários COMENTE

Ana Ikeda

Você, viajante, costuma tirar fotos de si mesmo durante as férias de duas formas (em geral): faz selfies – autorretratos — ou pede para uma boa alma ajudá-lo com a câmera enquanto você posa de modelo. Isso já serviria, para grande parte da humanidade, como lembrança da viagem. Mas para aqueles que desejam um ensaio à la “Ilha de Caras”, um serviço promete tirar fotos profissionais das suas férias. Pois é.

A Flytographer oferece um “fotógrafo particular” em 80 cidades ao redor do mundo para que o viajante tenha “fotos em estilo editorial e com toda a família junto” das suas férias.

Por uma sessão de meia hora em um único local, a empresa cobra US$ 250 (R$ 565) para um pacote 15 fotos digitais. Já uma sessão de uma hora em até dois locais, com total de 30 fotos, sai por US$ 350 (R$ 792). A sessão “premium” com duas horas de duração em múltiplas localidades sai por US$ 600 (R$ 1.357!!!) para 60 fotos.

O resultado, segundo fotos divulgadas pelo Flytographer, é esse:

flytographer2flytographer1

A título de comparação, esse é o tipo de foto que a gente encontra no Getty Images (serviço de imagens):

getty2 getyy1

Apesar de o Flytographer propor fotos profissionais, que deixam o viajante com jeitão de “celebridade”, o resultado pode acabar um tanto artificial… de tãooooo “profissional”.

Selfies e fotos pedidas a estranhos nem sempre saem legais, mas ficam mais naturais. A ponto de os seus amigos pensarem, ao olharem as imagens, que você estava mesmo de férias.


Lá do Daily Mail.

Fotos: Divulgação (Flytographer) e Getty Images.


Aplicativo Split avisa quando ex está por perto e indica rota de fuga
Comentários 1

Ana Ikeda

Encontrar o ex por acaso em um restaurante ou no meio da rua não é uma ideia agradável para algumas pessoas. Mas até para evitar essa situação delicada já temos um aplicativo. O Split não apenas diz que o ex-parceiro (a) está por perto como também indica uma rota de fuga.

Gratuito para Android e iOS, o Split funciona conectado ao Facebook, Twitter, Instagram e Foursquare. Ele então usa os dados de check-ins feitos pelo ex-parceiro (a) para avisar da sua proximidade geográfica. Além disso, ele também envia alertas quando o ex confirma que vai a um mesmo evento que você. tec2

Outro recurso mostra as zonas de perigo – locais muito frequentados pelo desafeto, ou seja, onde há grande probabilidade de encontrá-lo. Por último, o aplicativo “dedura” se o ex está acompanhado de outra pessoa.

O criador do Slipt, Udi Dagan, explicou ao “Daily Mail” que teve a ideia de criar o aplicativo há cerca de um ano quando ele encontrou sem querer uma ex-namorada em um bar. “Depois de alguns minutos desconfortáveis, eu apressei meus amigos para sairmos dali e ir a outro pub do lado oposto da rua. E lá eu esbarrei –literalmente – em outra ex. Não foi uma noite legal”, conta.

Para quem acha mais “traumático” encontrar com o ex em outro local — as redes sociais — acompanhe abaixo dicas para apagá-lo (a) da vida digital.

Lá do Daily Mail.

Imagem: Divulgação.


Com truque no Photoshop, usuário se autopromove a ‘bom partido’ do Tinder
Comentários 2

Ana Ikeda

Blake Jamieson, 29, descobriu um jeito bem rápido de conseguir marcar encontros virtuais no Tinder, aplicativo de namoro online. O truque foi simples: com o Photoshop, ele criou uma foto de perfil dando a entender que ele era o “pretendente do dia” indicado pelo Tinder.  O recurso inventado por ele “colou” – ele diz ter arranjado mais de 800 pretendentes.

Para o truque, Jamieson baixou a logomarca do Tinder em alta resolução e criou uma espécie de marca d’água. Ele adicionou a expressão “Match of the day” com uma fonte parecida à usada no nome da rede. Depois, aplicou à foto do perfil:

photoshop

Quem usa o Tinder depende de uma combinação de “likes” para começar a conversar com o pretendente. Um curte o perfil do outro e assim terão a janelinha de chat habilitada. Então, depois de alterar a foto de perfil, Jamieson saiu “curtindo loucamente” todos os perfis sugeridos a ele pelo Tinder. E ficou só esperando “fisgar” as centenas de curtidas de volta.tinder

Algumas usuárias notaram a malandragem de Jamieson. “Por um segundo eu pensei que o ‘pretendente do dia’ era algo do Tinder, mas percebi o que você fez. Bom trabalho!”, escreveu uma delas. Mas a maioria pensou que ele era mesmo um “match” indicado pela rede social.

Apesar de ter conseguido mais de 800 pretendentes, Jamieson notou que o número de mulheres que tomou a iniciativa no chat do aplicativo continuou na “média” anterior. Cerca de 8% delas enviaram mensagens primeiro, segundo estatística criada por ele mesmo.

“Se você é uma das 720 pretendentes que não me enviou mensagem, envie! Eu prometo que irei responder. Eu adoro conhecer gente nova”, escreveu em seu blog, chamado Medium.

Aliás, ele aproveitou para dar o link do site pessoal no perfil do Tinder. O resultado, podemos imaginar, deve ter sido uma audiência bem maior no Medium. E, para terminar, basta dizer que Jamieson trabalha com marketing digital.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/leia-mais-sobre-namoro-online-1395417244040.vm’)
Lá do Daily Dot.

Imagens: Reprodução/Medium.


Perfil de bisavó no Instagram que luta contra câncer faz sucesso na rede
Comentários 5

Ana Ikeda

Zach Belden, 18, morador de Jeffersonville, em Illinois  (Estados Unidos), decidiu criar uma conta no Instagram logo que soube que sua bisavó, Betty Simpson, 80, havia sido diagnosticada com câncer. O objetivo dele era que Betty pudesse “celebrar a vida” enquanto faz o tratamento contra a doença.

O que ele não esperava era que o perfil “vovó Betty” (http://instagram.com/grandmabetty33) ganhasse tantos seguidores. Em 14 de março, quando o “ABC News” fez uma reportagem sobre o caso, ela tinha cerca de 20 mil seguidores. Até a publicação deste post, três dias depois, eles já eram mais de 145 mil.

O perfil de Betty é simples… bem parecido com o seu (e o meu) perfil no Instagram: ela aparece com seu cachorro, em fotos com a família (tem até selfies com o bisneto) e no salão de beleza. Em uma foto, ela mostra a língua azul de doce colorido “à la Miley Cyrus”, diz a legenda.

bettyeua

Ao “ABC News”, Betty contou que esteve muito doente há seis meses e quase não resistiu. Desde então, Zach passou a ficar mais tempo ao seu lado, documentando a vida da bisavó em fotos e vídeos. “Ele me ama muito, então faz isso. Ele não quer me perder e é bom comigo”, disse.

Quando ainda tinha “apenas” 20 mil seguidores, o neto de Betty publicou um vídeo perguntando o que ela achava do feito. “Eu mal posso acreditar. E quero agradecer a todos eles”, disse a bisavó, que logo após aparece dançando “Celebrate Good Times”, da banda Kool And The Gang.

Lá do Mashable.

Foto: Reprodução/Instagram/@grandmabetty33


Estudo: metade dos americanos termina namoro por SMS, e-mail ou rede social
Comentários COMENTE

Ana Ikeda

choraSMS

Paradoxalmente, a mesma pesquisa mostrou que três em cada quatro entrevistados ficariam aborrecidos se alguém terminasse o namoro com eles digitalmente

Você pode achar terrivelmente mal-educado terminar um relacionamento por meios tecnológicos, mas a prática é cada vez mais comum, segundo um estudo feito nos Estados Unidos. Ele afirma que cerca de 56% das pessoas entrevistadas acabou um relacionamento amoroso no último ano via mensagens de texto de celular, e-mail ou por redes sociais.

A pesquisa foi feita com 2.712 pessoas entre 18 e 30 anos pela Vouchercloud.net, empresa de cupons de desconto online. O objetivo da pesquisa era saber qual o papel da tecnologia na vida das pessoas. Pelo jeito, ele tem sido cada vez maior, a ponto de mediar um processo tão delicado entre casais.

A maioria das pessoas entrevistadas (duas em cada três) disse ter terminado o relacionamento. Das que fizeram isso via SMS, mais da metade (55%) disse que o ato tornou o processo de término “menos estranho” (ah, vá!).

Já para as que deram um basta ao namoro via redes sociais, a maioria (61%) alegou ter feito isso porque deletou ou bloqueou o número de celular do parceiro. Teoricamente, não tinham outro meio de contato (muito teoricamente… amigos em comum solucionariam o problema informando o tal número, não?).

No caso de quem terminou via e-mail, o motivo alegado pela maioria dos entrevistados (58%) foi poder explicar em texto “todas as razões” que levaram ao rompimento. Okay, agora fez sentido (só que não… escreve “tudo”, mas não consegue dizer o mesmo cara a cara com ele ou ela).

Paradoxalmente, a mesma pesquisa mostrou que três em cada quatro entrevistados ficariam aborrecidos se alguém terminasse o namoro com eles digitalmente.

Quando perguntados sobre o porquê da chateação, eles disseram que isso seria “muito impessoal”. A máxima do “não faça com os outros aquilo que não gostaria que fizessem com você” passou TO-TAL-MEN-TE em branco.

A Vouchercloud.net não divulgou a margem de erro do estudo.

Lá do Daily Mail.

Imagem: Getty Images.


Artista cria GIFs animados de seus filmes favoritos com estilo 8-bit
Comentários COMENTE

Guilherme Tagiaroli

pulpfiction

O designer eslovaco Dusan Cezak resolveu criar as cenas de seus filmes favoritos com visual 8-bit (as formas são pixeladas e cheia de quadrados maiores) e em formato de GIF animado.  A série de animações criada por ele é chamada de Pixelwood.

O interessante que apesar do visual minimalista, Cezak tentou selecionar as cenas mais impactantes dos filmes, para fazer com que o espectador perceba na hora de qual título se trata.

“Comecei este projeto para criar pequenos trechos de filmes com a atmosfera correspondente e cenas interessantes. A arte de pixel junto com a estética 8-bit são perfeitas para isso.  Foi simples e legal de trabalhar nas estilizações dos personagens e situações”, disse ele em entrevista ao “Mashable”.

Apesar de ter gostado de fazer, Cezak disse que não vai mais produzir GIFs desse tipo, pois não gosta de ficar repetindo projeto.

Abaixo, o filme “O vingador do futuro”.  Foi reproduzida a cena em que Arnold Schwarzenegger acaba com um disfarce de mulher que usava.

 Em “Clube da Luta”, o artista reproduziu o personagem de Edward Norton apanhando e tendo visões com o personagem de Brad Pitt.

 

Abaixo, o filme “Pulp Fiction”. Foi reproduzida uma cena em que mostra os atores John Travolta e Samuel L. Jackson atirando.


__

Lá do Mashable

Imagens: Pixelwood

Tags : 8-bit gif