Blog do UOL Tecnologia

Categoria : Vida digital

Manifesto que só pode ser lido off-line discute atenção na web
Comentários COMENTE

Márcio Padrão

Essa notícia é um paradoxo. Ela fala sobre a importância de estarmos desconectarmos da internet para darmos mais atenção a conteúdos importantes e profundos para nosso conhecimento. Mas você só está lendo isso agora porque acessou a internet, não é?

Esse mesmo paradoxo é a matéria-prima do manifesto criado por Chris Bolin, engenheiro de software da Formidable, empresa de Seattle (EUA). Bolin criou uma página de internet cujo conteúdo só pode ser lido offline –ou seja, você tem que desconectar sua internet no PC ou celular e só assim a página mostrará o texto.

O que ele diz no texto? Basicamente que as notificações de aplicativos minam noss foco e atenção o tempo todo, mas o verdadeiro dispersor está na sua mente. O usuário é quem deve aprender a focar no que é importante, e para conseguir isso, passar algum tempo off-line no seu dia fará diferença.

Mesmo que você possa usufruir de um conteúdo interessante que acessou com uma conexão de dados, você poderá aproveitá-lo melhor sem as distrações a que se submete quando se está conectado, como as notificações, links relacionados ou simplesmente seu vício em pesquisar coisas aleatórias no Google ou saber as últimas dos seus amigos no Facebook.

É sem dúvida uma discussão interessante, ainda mais que alguns bons apps já oferecem vida offline, como o recurso do Netflix e do Spotify de armazenar filmes e músicas na memória, ou o Pocket, app que permite salvar textos da web de forma off-line para ler depois com calma.

Se você ainda não está pronto para desligar sua internet por dois minutos, a gente te ajuda: Veja abaixo o manifesto de Chris Bolin.

“2017. 2 minutos de leitura.

Você quer ser produtivo? Basta desligar, pois manter uma conexão constante com a internet é manter uma conexão constante com interrupções, tanto externas como internas.

As interrupções externas são uma legião e bem documentadas: você tem uma nova mensagem no Gmail, Slack, Twitter, Facebook, Instagram, Snapchat, LinkedIn. Amigos, familiares, colegas de trabalho e spammers: cada um tem acesso direto à sua preciosa atenção.

Mas são as distrações internas verdadeiramente perniciosas. Você pode silenciar as notificações do Twitter e sair do Slack, mas como você impede sua própria mente de descarrilar você? Passei horas capturadas em teias da minha própria curiosidade. O mais perigoso é o capricho dividido, a propósito do nada: “Eu me pergunto qual é o segundo idioma mais falado?” Aqueles 500 milisegundos poderiam mudar seu dia, porque nunca é apenas uma pesquisa no Google, apenas um artigo da Wikipédia. A desconexão da internet faz um curto-circuito desses caprichos, permitindo que você se mova sem embaraços. (É o espanhol, por sinal).

Esta página em si é um experimento nesta veia: e se certo conteúdo nos obrigasse a desconectar? E se os leitores tivessem acesso a essa gloriosa atenção que faz devorar um romance por horas de uma forma tão gratificante? E se os criadores pudessem emparelhar isso com o poder dos aparelhos modernos? Nossos telefones e laptops são incríveis plataformas para novos conteúdos – se apenas pudéssemos aproveitar nossa própria atenção.

O conteúdo off-line apenas obrigaria os criadores a pensar de forma diferente. Olhe para esta página: não há um único link, nenhuma oferta de nota de rodapé para distrair os leitores. Quantos bons artigos você deixou a metade da leitura porque você caçou um cintilante link sublinhado? Quando você está offline, aqui é o único lugar que você pode estar.

Eu já posso ouvir os gemidos: “Mas eu tenho que estar online para o meu trabalho.” Eu não ligo. Crie tempo. Aposto que o que o torna valioso não é a sua capacidade para o Google, mas a sua capacidade de sintetizar informações. Faça suas pesquisas on-line, mas crie off-line.

Agora volte para sua internet acessada regularmente. Apenas lembre-se de se dar um presente ocasional de desconexão.

❤️ Chris”


Sonho está virando realidade: WhatsApp já testa botão para desfazer envio
Comentários 29

Bruna Souza Cruz

Já faz tempo que circulam rumores de que o WhatsApp anda testando um recurso que te dá alguns minutos para apagar a mensagem enviada. Mas uma nova descoberta feita pelo perfil @WABetaInfo, que antecipa no Twitter testes feitos no aplicativo, mostra que o sonho de muita gente está virando realidade.

O WhatsApp deve inserir nas próximas atualizações a opção “desistir” (unsend) depois do envio da mensagem.

A opção apareceu na versão teste do iOS 2.17.21, sistema operacional da Apple. Ainda não há previsão para que chegue na versão beta ou na oficial, mas os testes estão avançando.

Atualmente, se você apaga uma mensagem, ela some apenas da sua conversa. Com o novo recurso, você pode apagar a mensagem enviada, e o contato não terá acesso a ela.

Claro, não é possível garantir que o seu contato não tenha lido a mensagem enviada. Mas se o arrependimento acontecer segundos depois do envio, a chance de que ninguém tenha visto o conteúdo é bem grande.

Fala se não vai ser ótimo poder apagar uma mensagem enviada antes que o contato a veja? Ainda não há outros detalhes sobre a funcionalidade, mas aguardamos ansiosos a atualização oficial do aplicativo.


Veja também: Seguir pessoas e favoritar conversa: o que pode surgir de novo no WhatsApp


Imagina se pau de selfie tivesse ventilador e luzes para valorizar o look
Comentários COMENTE

Larissa Leiros Baroni

Não seria nada mal um pau de selfie inteligente e munido de ventiladores e luzes. Você pode até achar que é frescura, mas, para mim, é um sonho de consumo.

Os ventiladores garantiriam aquele efeito top model nas fotos (chique, não?). E as luzes dariam aquela melhorada nas fotos já que nem todos os celulares possuem flash na câmera frontal.

A opção certamente seria um sucesso entre os amantes de selfies, como eu.

Pena que a invenção se trata apenas de um vídeo publicitário para a promoção da série de televisão americana UnReal, transmitida no canal Lifetime.

Mas que é uma boa, não dá para negar! Quem sabe alguma empresa se inspira?

 


Este equipamento transforma qualquer um em boneco de “Star Wars”
Comentários COMENTE

Márcio Padrão

Uma reportagem do site “Daily Dot” esteve no Star Wars Celebration –evento sobre a saga “Star Wars” neste fim de semana, em Londres. E viu por lá uma área da Propshop, empresa que cria adereços para muitos filmes, incluindo o mais recente da série, “O Despertar da Força”. Lá foi possível criar uma “action figure” de qualquer fã paramentado como os personagens do filme. Bastava pagar a bagatela de 1.595 libras (R$ 6.878) por isso.

Na verdade o esquema é basicamente o mesmo de digitalizar em 3D o rosto dos atores da saga para fazer esses mesmos objetos de decoração. Não apenas isso: servem para criar personagens digitais com reconhecimento facial, como o personagem Maz Kanata (interpretado por Lupita Nyong’o) no “Despertar da Força”, além de “dublês digitais” nas cenas de ação, pôr vários figurantes digitais em cenas de continuidade, recriar os personagens em videogames, etc.

A empresa então levou ao evento o seu equipamento usado para esses fins. Ele fotografa imagens de alta resolução da cabeça a partir de 50 ângulos diferentes. O processo é instantâneo, com um flash forte seguido de uma série de fotos que aparecem no computador do técnico.

Assim, o fã que estivesse com grana sobrando podia ter sua cabeça digitalizada e depois incluída em uma figura de ação, que ficava pronta para ser retirada na loja da Propshop em Londres.


Snapchat também deve passar a mostrar publicações por ordem de importância
Comentários COMENTE

Larissa Leiros Baroni

snapchat

Tudo começou com o Facebook, que inspirou o Twitter, o Instagram e está um passo de chegar ao Snapchat. Isso mesmo! O polêmico sistema de algoritmo pode ganhar vida também na rede social do “fantasminha”, segundo fontes citadas pela empresa de conteúdo digital “Digiday.

As informações são que o Snapchat estaria trabalhando em uma nova atualização, que afetaria as contas profissionais e a reorganização do fluxo cronológico de conteúdo que os usuários veem a partir das contas que seguem.

Ainda não está claro quando as mudanças podem ser implementadas. O que se sabe, no entanto, é que o feed de publicações da rede social seria organizado da mesma forma como acontece no Facebook, que classifica o conteúdo que você interage com base em uma série de fatores.

A organização seria feita por ordem de importância, não mais por ordem de postagem. A grande crítica é que o sistema acaba sempre mostrando aos usuários “mais do mesmo”, além de “obrigar” anunciantes a comprarem por espaços mais visíveis.

Uma mudança similar no Instagram, que ainda está em fase de testes, foi alvo de críticas dos usuários. Polêmica que também deve se estender aos amantes do Snapchat. Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

 


Que vistoria que nada! Se bater o carro, você mesmo pode constatar danos
Comentários 1

Larissa Leiros Baroni

engavetamentoQuem já bateu o carro sabe muito bem o quão burocrático é acionar o seguro e receber o aval para encaminhar o veículo para o conserto. Mas a tecnologia (já era hora) pode tornar esse o processo um pouco menos doloroso.

A HDI Seguros, por exemplo, possibilita que o próprio segurado faça a constatação dos danos do veículo. Basta ter um smartphone com câmera e enviar as imagens do estrago pelo aplicativo da seguradora, disponível para Android, iOS e Windows Phone.

Isso evita que o segurado se desloque ou aguarde a visita do vistoriador, abreviando o tempo de análise do processo.

Uma mão na roda, não?!


#CartaDoTemer ganha vídeo do fantoche Marcelinho e rende piadas na web
Comentários COMENTE

Márcio Padrão

O fantoche Marcelinho, popular personagem de humor do Youtube que lê e comenta cartas eróticas, está de volta com uma “sacanagem” diferente: ele resolveu analisar o conteúdo da carta de Michel Temer (PMDB) à presidente Dilma Rousseff (PT) que vazou na segunda-feira (7) demostrando os vários pontos de insatisfação do vice-presidente à chefe do Executivo.

Para quem conhece Marcelinho, este vídeo segue os mesmos moldes dos anteriores: ele lê o texto inteiro na íntegra e faz intervenções engraçadas em alguns trechos. “O cara já começa mandando um Harry Potter para mostrar quem manda”, diz ele sobre a citação em latim “Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos se mantêm), em alusão aos feitiços entoados pelo famoso bruxo dos livros e filmes.

Marcelinho é uma criação do coletivo de humor Alta Cúpula, formado por Erik Gustavo e Ulisses Matos. Seu canal no Youtube conta com 244 mil inscritos 31 milhões de visualizações. O vídeo de Marcelinho lendo a carta de Temer (veja a íntegra aqui) foi postado na manhã desta terça (8), horas depois do vazamento da carta, e já conta com mais de 59 mil visualizações (até às 12h40 desta terça).

#CartadoTemer

Como era de se esperar, a carta de Temer também está rendendo uma série de comentários e memes nas redes sociais, com aquela típica zoeira disfarçada de crítica política, e vice-versa. Veja uma seleção abaixo:

Item 12. Recordo, ainda, que a senhora não me deu um pedaço de coxinha no recreio da escola na quarta série. Respeitosamente, Temer. #cartaDoTemer.

Posted by Junior Santos on Tuesday, December 8, 2015

A senhora nunca me marcou em nenhuma foto no face, mesmo sabendo que todos seus eleitores iriam me add.#CartaDoTemer #Chateado #VicePresidente

Posted by Léo Jaime on Tuesday, December 8, 2015

Essa #CartaDoTemer foi plagiada da música: O Desgosto Que Tua Mãe Me Deu, do cearense, Falcão.♫ ♭ ♪ Eu acho melhor…

Posted by Robério Correia on Monday, December 7, 2015

Hello from the OTHER SSIIIIIIDDDEEEEI must’ve called a THOUSAND TTTIIIIIIMMMMEEESSS#MichelMemer #CartadoTemer #Fax

Posted by Ale Wakoo on Tuesday, December 8, 2015

Eis o motivo real da carta de recalque do Temer, ele nunca superou perder pro Cauã ! #cartadoTemer

Posted by Jéssika Moraes on Tuesday, December 8, 2015

No meio da tempestade, alguém resgatou esse tuíte da presidente Dilma que hoje parece ser vítima da ironia do destino:


Ignorar os haters? Drauzio tem outro jeito para lidar com os comentários
Comentários 2

Márcio Padrão

O médico mais famoso do Brasil, Drauzio Varella, publicou na segunda-feira (23) um vídeo para comemorar os 50 mil inscritos em seu canal no Youtube. O tema foi o conteúdo dos comentários dos vídeos anteriores, com o próprio dr. Drauzio lendo e respondendo a eles. O resultado? O canal já superou esse número e até o momento conta com mais de 73 mil inscritos.

O que chama a atenção é o jeito despachado e bem humorado de Drauzio mesmo nos comentários mais grosseiros e politicamente incorretos, no melhor estilo “tiozão”. Recebeu cantadas de homens e mulheres, aceitou o título de “Yoda brasileiro”, sofre para ler aqueles que assassinam a gramática, dá um “fora” elegante em quem ofende os gays e no final traz uma bonita lição de moral tanto para quem escreve quanto para quem se irrita lendo os comentários. “A internet é assim”, resumiu.

O vídeo completo pode ser acessado aqui.

O episódio lembra outro semelhante, quando em 2011 Chico Buarque relembrou a primeira vez em que se deparou com os “trolls” da rede. “A primeira vez que vi esses comentários na internet, não sabia como era o jogo ainda e fiquei espantadíssimo. Hoje em dia, [com] essa coisa de internet, as pessoas falam o que vem à cabeça”, disse.

São sinais de que a velha guarda sempre pode surpreender as novas gerações, mesmo na tecnologia.


Novos boatos sobre o WhatsApp Plus voltam a circular em verdadeiro WhatsApp
Comentários COMENTE

Larissa Leiros Baroni

whatsapp

Uma nova mensagem com boatos sobre o WhatsApp Plus tem circulado pelo verdadeiro WhatsApp. No texto, o alerta sobre a possibilidade de o app monitorar as conversas do usuário, bem como de danificar o smartphone.

Com um tom alarmista, a mensagem ainda pede que os usuários “não atendam de jeito ligações do celular (84) 9131-6949”. Segundo o boato, todos os números que atenderam a chamada foram clonados. Não há, no entanto, nenhum relato oficial que comprove essa história.

Vale lembrar que o WhatsApp Plus não é um aplicativo original do mensageiro e o verdadeiro WhatsApp não oferece nenhum tipo de suporte para o serviço. Em sua página oficial, o app comprado pelo Facebook diz que o “concorrente” não foi desenvolvido ou autorizado pelo WhatsApp.

O mensageiro ainda faz o alerta: “Por favor, tenha em mente que o WhatsApp Plus contém códigos fonte os quais o WhatsApp não garante serem seguros, e também não garantimos que suas informações pessoais não estejam sendo repassadas a terceiros sem que você saiba, ou sem sua autorização.”

O WhatsApp também tem “punido” os usuários que instalam o WhatsApp Plus, bloqueando-os por 24 horas. Para voltar a utilizar o serviço, será necessário baixar o app novamente ao fim do prazo do castigo.


Veja supostas imagens vazadas do Galaxy View, tablet grande da Samsung
Comentários COMENTE

Márcio Padrão

O site norte-americano Sam Mobile vem desde a semana passada vazado rumores a respeito de um suposto novo tablet da Samsung com tela de 18,4 polegadas chamado Galaxy View. Se somarmos ao iPad Pro da Apple e ao Yoga Home da Lenovo, parece que o segmento de tablets “grandões” está vindo como uma nova tendência.

A julgar pelas imagens vazadas, espera-se que o aparelho seja usado como uma segunda tela do ambiente, com foco em consumo de vídeos, jogos e interações com a família e amigos. Nos exemplos, é usado para mostrar receitas na cozinha, ou como “TV portátil” em viagens. A tela teria resolução de 1920 x 1080 pixels, e o preço sugerido é de US$ 599 (ou R$ 2.330).

Segundo o site, já existem até as especificações: processador Exynos 7580 com CPU octa-core 64-bits de 1.6GHz; 2 GB de memória RAM; 32 GB de memória interna mais um slot para cartão microSD; conexões 4G, Wi-Fi e Bluetooth; Android 5.1 Lollipop; sem câmera traseira mas com câmera frontal de 2.1 megapixels; alto-falantes estéreo de alta qualidade; e bateria de 6700 mAh que renderiam 8,5 horas de reprodução de vídeos.

A Samsung ainda não se pronunciou a respeito do suposto novo produto.